Com uma campanha recheada de machismo e sexismo, a nova linha de esmalte Outono/Inverno 2015 da Risqué "Homens que Amamos" está gerando polêmica em redes sociais como o Twitter.

Controversa, a linha que se diz inspirada "nos homens que fazem a diferença na vida das consumidoras" traz um texto que, além de objetificar homens,  generaliza e futiliza mulheres, reduzindo suas expectativas e paixões a "homens" e "esmaltes".

Sem contar que se trata de um produto feminino com ênfase no homem (Oi?). Será que até mesmo na hora de pintar nossas unhas, e de comprar nossos próprios produtos, não podemos pensar somente em nós mesmas? Devemos ser gratas aos homens nestes nossos momentos? (Oi?). Estranho, para dizer o mínimo.

Dentre as "homenagens", ou como a própria marca diz "tributo" aos homens, temos, no lugar das cores, títulos como "Risqué André fez o jantar", "Risqué Fê mandou mensagem" e "Risqué João disse eu te amo". Fazer o jantar não deveria ser considerado como uma gentileza, mas sim uma obrigação, ou pelo menos algo comum- afinal, até quando mulheres serão responsabilizadas pelas tarefas da casa? Se os papeis fossem invertidos, fazer o jantar ainda seria considerado uma gentileza? E o que há de tão especial em demonstrar sentimentos?

Não precisamos nem dizer que a reação da internet - sempre a internet - que nunca perdoa vacilos como este, foi instantânea. Tuítes hilários questionaram a publicidade duvidosa da marca:

risqué-machismo (2)

Créditos: risqué-machismo (2)

 

risqué-machismo (3)

Créditos: risqué-machismo (3)

 

risqué-machismo (4)

Créditos: risqué-machismo (4)

 

risqué-machismo (5)

Créditos: risqué-machismo (5)

 

  
risqué-machismo (7)

Créditos: risqué-machismo (7)

 

risqué-machismo (8)

Créditos: risqué-machismo (8)

 

risqué-machismo (9)

Créditos: risqué-machismo (9)

 

risqué-machismo (10)

Créditos: risqué-machismo (10)